sábado, março 25, 2006



"Por isso, meu caro senhor, apenas me é possível dar-lhe este conselho: mergulhe em si próprio e sonde as profundidades onde a sua vida brota; na sua fonte encontrará a resposta à pergunta «Devo criar?» Aceite essa resposta, tal como lhe é dada, sem tentar interpretá-la. Talvez chegue à conclusão de que a arte o chama. Nesse caso, aceite o seu destino e tome-o, com o seu peso e a sua grandeza, sem jamais exigir uma recompensa que possa vir do exterior. Porque o criador deve ser todo um universo para si próprio, tudo encontrar em si próprio e na Natureza à qual toda a sua vida é devotada."
in 'Cartas a um Jovem Poeta'

3 Comments:

Anonymous me said...

Gosto de olhar para voces assim, "de fora" ... São bonitos os três! *

11:25 da manhã  
Blogger pol said...

e depois veio o senhor monge e o convento... fechou; e depois veio o senhor eremita e comeu o senhor... não não o senhor eremita foi com o senhor frade e o monge no comboio ao circo

era só para desanuviar, abraços a todos

12:26 da manhã  
Blogger Carlos Neves said...

Há algo a medrar cá dentro. Ai se há...

8:49 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home