domingo, março 19, 2006


Lothar Wolleh
The patriarch of Constantinople, 1966

Ainda sinto a mão do meu pai quando apertou a minha, era um até já; o amor nunca precisou de palavras.

1 Comments:

Anonymous me said...

Nunca!

beijinhos grandes e coragem :)

2:41 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home